Oportunidade! Cursos de pós-graduação lato sensu (especialização) sobre histórias em quadrinhos e cultura pop

A Faculdades EST está lançando, a partir de 2019, dois novos cursos na modalidade de Educação a Distância: Especialização em Histórias em Quadrinhos e Especialização em Cultura pop. Os dois cursos, de duração de 450 horas, distribuídas em 15 meses de atividades, são inéditos na área.

Histórico da Instituição e Contexto

Os cursos surgiram a partir do esforço do Grupo de Pesquisa “Cult de Cultura” da instituição em fazer a ponte entre uma faceta muito peculiar da cultura contemporânea, a cultura pop e seus produtos artístico-culturais, e o debate acadêmico, sobretudo, a partir de um exercício de hermenêutica e escuta do cotidiano. Desde 2013, o Grupo de Pesquisa, vinculado ao PPG da instituição, atua ativamente nessa tarefa, por meio de diversas participações e publicações (que, naturalmente, você confere nesta página e em outras do grupo).

A Faculdades EST tem tradição e excelência em ensino, pesquisa e extensão de qualidade, reconhecida nacional e internacionalmente. É promotora de debates contextualizados sobre o impacto e a relação entre academia e realidade. Possui uma caminhada significativa na área de humanas e das artes.

Proposta dos Cursos

O curso é totalmente online, com um encontro presencial obrigatório no final do curso, no qual estudantes farão a prova presencial e a defesa pública do Trabalho de Conclusão de Curso. O material foi todo construído em sintonia com a proposta pedagógica da Educação a Distância, com pessoas pesquisadoras renomadas na área. Muitas delas são vinculadas a Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial (a ASPAS), uma das mais significativas (única do gênero até o momento) associações acadêmicas do país, por conta de sua abordagem interdisciplinar, congregando diferentes PPGs, grupos de pesquisa e pessoas pesquisadoras do país e fora dele.

E aí, já pensou em ser “Especialista em Histórias em Quadrinhos”? Ou ainda “Especialista em Cultura pop”?

Especialização em Histórias em Quadrinhos

flyer_verso

Especialização em Cultura Pop

flyer_(1)

Para saber mais e para se inscrever, clique aqui!

 

Anúncios

Saiu! Confira a programação do IV Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial

Saiu a programação do IV Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial. O evento tem sido realizado anualmente e configurado como uma “reunião aberta” do grupo de pesquisa conhecido popularmente como “Cult de Cultura” (Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Arte Sequencial, Mídias e Cultura pop) da Faculdades EST. O evento, que reúne sempre cerca de 20-30 pessoas pesquisadoras da região sul, principalmente, mas também de outros Estados, visa promover a socialização de estudos, pesquisas, projetos, práticas pedagógicas e demais trabalhos sobre cultura pop e arte sequencial, criando, por meio do encontro periódico, uma rede de relações, contatos. A proposta é demarcar uma área de pesquisa.

O IV Colóquio ocorre dias 12 e 13 de outubro de 2018, no campus da Faculdades EST, em São Leopoldo/RS. Na sexta-feira, dia 12, o evento contará com a participação de Profa. Ma. Natania Nogueira, atual coordenadora da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial (ASPAS) e pesquisadora renomada em estudos sobre quadrinhos, que falará sobre “a memória feminina e os quadrinhos”. O evento é aberto ao público. Na sequência, haverá um cine-debate com a Dra. Kathlen Luana de Oliveira (do IFRS) e o Me. Thiago Soares Arcanjo. Já no dia 13, acontecerão as socializações de pesquisa, além de sorteios e convivência entre as pessoas inscritas.

Confira aí a Programação IV Colóquio.

Na página do grupo, no Facebook, também se disponibiliza um pequeno resumo das apresentações.

Quer saber o que rolou no colóquio anterior? Confira aqui:

Até amanhã! Inscrições para o IV Colóquio Sul

As inscrições para apresentação de trabalhos no IV Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial (e cultura pop) vão até amanhã (20 de setembro). O Colóquio é considerado uma “reunião aberta” do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Arte Sequencial, Mídias e Cultura pop (a.k.a. Cult de Cultura, que você conhece muito bem 😉 Se não conhece, clica aqui e curta a página oficial no Facebook) da Faculdades EST.

O evento acontece dias 12 e 13 de outubro de 2018, no campus da Faculdades EST, em São Leopoldo, e está aberto a pessoas que estão pesquisando temas sobre cultura pop, histórias em quadrinhos, cinema, animações, etc. (isto é, sobre o universo da cultura pop e da arte sequencial em sentido lato) e também para curiosos e curiosas, interessados e interessadas.

Isto é, se você quadrinista (profissional ou aspirante), graduanda ou graduada (fez trabalho sobre os temas ou tem interesse em fazer), mestranda, doutoranda, pesquisadora independente, etc., trata-se do espaço primordial para debater, estabelecer relações, conhecer pesquisas, pensar coisas novas ou dar uma nova perspectiva às coisas que você já está pensando. A proposta de fundo do evento é formar uma rede de colaboração, de contatos, particularmente, na região sul (no sentido de identificar pessoas pesquisadoras), mas não restrito a ela, obviamente. O Cult de Cultura está vinculado à Associação de Pesquisadores [e Pesquisadoras] em Arte Sequencial e ao Observatório de Histórias em Quadrinhos da ECA-USP.

As informações sobre o evento e sobre como se inscrever, você confere aqui.

Confira os participantes ao longo dos anos:

2015

20151017_182753

Foto: Iuri Andréas Reblin (sim, não estou na foto, porque a bati :-D)

2016

14708165_1360350907311795_8307718607818754099_n

Foto: (Alguém que bateu com o celular do Gelson Weschenfelder)

2017

Foto_Ellen_Jachs_01

Foto: Éllen Jachs

2018

you-151415_1280

Foto: (imagem do Pixabay)

No mais, curta nossa página, divulgue, compartilhe!

É Hoje! CCRS 2018 com participação do Cult de Cultura

A Comic Con RS (CCRS para os íntimos)  acontece hoje (04/08) e amanhã na Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), em Canoas. Muitas atrações estão programadas e você pode conferir na página oficial do evento. Dentre elas, o evento contará com a participação de integrantes do Cult de Cultura em painéis no dia de hoje. Confira!

Guilherme Smee entrará no palco Canini às 12h30, junto com Letícia Pusti, Christian Gonzatti e Paulo Daniel Santos para falar sobre Representatividade. Mais à noite, às 18h30, Larissa Becko integrará o Painel sobre os 80 anos de Superman, junto com Émerson Vasconcelos, Daniel HDR e Levi Trindade.

Ingressos poderão ser adquiridos na bilheteria do evento na modalidade “meia social” ao preço de R$ 45. É necessário levar 1 Kg em alimentos não perecíveis para doação ou R$ 5 para doação a entidade beneficentes. Aproveite o final de semana e venha curtir o maior evento geek do sul do país e prestigiar, claro, a turma do Cult de Cultura no evento. 😉

Além das aparências: o sentido profundo da cultura pop

Dando continuidade às postagens de nossos pesquisadores, nessa semana a “fala” é do André, que conta da sua ligação com o CultdeCultura e do trabalho que desenvolveu sobre a série de televisão Sons of Anarchy. Confira!

Faço parte do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Arte Sequencial, Mídias e Cultura Pop (CultdeCultura). Tenho participado deste grupo desde o início de 2018, embora já frequentasse os eventos acadêmicos e publicações do mesmo bem antes disso. Na verdade, este é meu segundo grupo: meu mestrado está na área de História das Teologias e Religiões, com foco na América Latina. A entrada neste segundo grupo se deu pelo interesse que tenho na temática da cultura pop, uma vez que minha primeira formação acadêmica foi no bacharelado de Desenho Industrial (Design).

Como bom designer, sou aficionado pela cultura pop, quadrinhos, cinema e tudo o que envolve este universo fantástico. Já na teologia, aprendemos a perceber algo abaixo da superfície, mergulhando no que o teólogo Paul Tillich chama de “substância da cultura”. Para ele, o que dá sentido à cultura é a religião – não em seu aspecto eclesiástico ou doutrinário, mas como a “preocupação suprema com aquilo que nos preocupa em última instância”. O que te move a viver ou a morrer por algo? Isso é religião, para Tillich. Como ele afirma, a “religião é a substância da cultura e a cultura é a forma da religião”. Essa substância é o movimento íntimo da alma, toda expectativa de vida que se revela formalmente na cultura. Vou chamar isso de sentido profundo da cultura. Bem, foi isso que me chamou a atenção muitas vezes ao assistir filmes ou seriados: a presença constante da preocupação com o sentido da vida. E essa preocupação tinha contornos “religiosos”. Por exemplo, um super-herói que vem do céu, adotado por humanos, cresce, se revela ao mundo como salvador de gentes, morre, ressuscita… Trata-se de Kal El, chamado Superman, ou de Jesus Cristo? Ou aquele é um arquétipo deste? É preciso ir além das aparências, buscando sentidos mais profundos naquilo que apreciamos.

Fiz uma pesquisa nesta linha de pensamento em torno de um seriado que me impactou algum tempo atrás, e para o qual escrevi um texto – até mesmo para realizar a catarse do sentimento que ele me deixou. O seriado é Sons of Anarchy, sobre um grupo de motociclistas que acabaram se tornando criminosos, com enredo baseado em Hamlet (de Shakespeare), mas cujos episódios demonstram presença constante e crescente de elementos simbólicos  do cristianismo, os quais atingem seu ápice no final, em uma clara referência a Jesus Cristo e ao seu sacrifício vicário. O meu texto procura analisar esta série à luz da teologia do cotidiano, cuja síntese pode ser encontrada no título: “Sons of Anarchy: de Hamlet a Jesus Cristo, da tragédia à esperança”. O motivo da transformação no roteiro de Sons of Anarchy, indo de Hamlet a Cristo, está naquilo que empresta sentido à vida. Bem, já foram “spoilers” demais. Leia o texto no link abaixo, e aproveite para dar uma olhada também nas demais análises do livro “Atravessando o espelho de Alice: estudos sobre religião, cultura pop e mídia”.

Para baixar o livro que contém o capítulo Sons of Anarchy: http://www.est.edu.br/downloads/pdfs/biblioteca/livros-digitais/Espelho_de_Alice_Ebook.pdf

André Daniel Reinke é Bacharel em Desenho Industrial (UFSM, 1998), licenciado em História (UFRGS, 2013) e mestrando em Teologia (Faculdades EST).

A experiência do fã de super-herói: vivendo e pesquisando

A partir de hoje, vamos postar textos sobre as pesquisas realizadas pelos membros do grupo e suas trajetórias de investigação. Quem começa a rodada é a Larissa, pesquisadora da Comunicação da Unisinos, que investiga a cultura de fãs da Marvel e da DC Comics, bem como acontece a performance dos mesmos. Ficou curioso? Então vem com a gente que a Larissa te conta tudo!

“Eu faço parte do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Arte Sequencial, Mídias e Cultura Pop (CultdeCultura) desde 2017, quando entrei no curso de mestrado na Unisinos. A ideia dessa postagem é falar um pouquinho sobre a minha pesquisa. A proposta do estudo é verificar como os fãs de super-heróis da Marvel e DC Comics constroem as suas performances com base nas suas práticas de consumo e de que forma estas contribuem como elementos identitários para esses sujeitos.

A primeira coisa importante para mim foi compreender que esses fãs podem ter práticas de consumo trans e crossmidiáticas. Os heróis estão nos quadrinhos, cinema, séries de TV, games, colecionáveis, camisetas e em mais uma variedade de produtos. Logo, esses sujeitos não necessariamente são fãs de quadrinhos. Minha hipótese é de que o super-heróis transcende à mídia/produto, tornando-se algo maior. Se o filme do Batman não for considerado bom pelos seus fãs, isso não invalidará o personagem ou colocará a sua importância em cheque.

O segundo ponto é esclarecer o que eu entendo por performance. Schechner (2013) afirma que “performar” pode ser algo entendido em relação a ser, fazer algo, mostrar-se fazendo algo ou explicar o fato de “mostrar-se fazendo algo”. Então, trazendo o conceito para a cultura de fãs, abordo performance como uma forma de o sujeito mostrar-se como fã. E como muito bem apontou Goffman (2009), a performance pressupõe a existência do outro para acontecer. Dessa forma, quem performa, necessariamente, performa para alguém.

Jenkins (1992) defende que o fã pode ser definido como indivíduo que mantém uma ligação apaixonada com objeto de interesse, afirmando sua identidade por meio do seu envolvimento com a mídia popular. Segundo Hills (2015), mesmo que se aceite a noção generalizada da concepção principal de fandom, de algo caracterizado pelo aspecto coletivo, ainda é preciso compreendê-lo como performativo. Para o autor, o fandom está relacionado à “representação de uma identidade; é sobre um sentido para o eu, sobre afeto, em termos de atuar num nível emocional, subjetivo” (Ibid, p. 150).

A verdade é que, com a explosão de filmes de super-heróis a partir dos anos 2000, os fãs passaram a estar rodeados de novas formas de viver a experiência de fã. E esse é um tema que me fascina, especialmente, porque eu também sou fã de super-herói. Então, após algumas pesquisas exploratórias, a ideia é construir um arranjo metodológico que tenha uma inspiração etnográfica para dar conta da proposta da análise. Neste momento, estou finalizando o relatório de qualificação, etapa que ocorre no meio do curso e em que será discutida a realização da pesquisa até aqui e os caminhos futuros”.

Larissa Tamborindenguy Becko é formada em Relações Públicas pela UFRGS e é mestranda em ciências da comunicação pela Unisinos. 

REFERÊNCIAS:

GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petropolis: Vozes, 2009.

HILLS, M. Fan Cultures. Routledge, London and New York, 2002.

JENKINS, H. Textual Poachers. New York: Routledge, 1992.

SCHECHNER, R. Performance Studies: An Introduction. Londres e New York: Routledge, 2013.

Cult de Cultura estreia seu canal no Youtube! Confira!

Há quem diga que o ano só começa após o Carnaval. Como já estamos no mês das festividades, nada melhor que inaugurarmos nosso canal no Youtube. A proposta inicial do canal é reunirmos aqui entrevistas, depoimentos de pessoas especializadas e imersas no mundo dos quadrinhos, do cinema, das séries, das animações, da cultura pop e da arte sequencial em geral que possa contribuir para estudos e pesquisas sobre tais temas.

Além disso, também visa criar espaços e tornar visíveis diferentes pessoas que tem pesquisado sobre cultura pop e arte sequencial, bem como seus estudos. A proposta segue a linha daquilo que nós já temos procurado realizar com o espaço do Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial: criar laços, constituir uma rede de pessoas pesquisadoras e divulgar o conhecimento gestado na acadêmica.

Diante disso, os primeiros vídeos do canal foram produzidos durante o III Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial, ocorrido nos dias 13 e 14 de outubro de 2017.

Por isso, curta o canal, assim como nossa página no Facebook e compartilhe!

cult de cultura página youtube

Confira o canal, clicando aqui:

Novos livros teóricos sobre cultura pop e arte sequencial! Confira!

Durante o III Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial que aconteceu no último final de semana (13 e 14 de outubro de 2017), foram lançados dois novos livros teóricos sobre cultura pop e arte sequencial, organizados pela trupe do Cult de Cultura, com textos da edição anterior do evento. São eles: Vamos falar sobre cultura pop? e Vamos falar sobre gibis?

Os livros foram publicados em formato digital e impresso e estão disponíveis para download gratuito ou aquisição do exemplar impresso ao preço de custo diretamente na página das publicações do grupo.

O Cult de Cultura (Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Arte Sequencial, mídias e cultura pop) está devidamente registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq, é vinculado ao PPG da Faculdades EST, à ASPAS (Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial), associação que é responsável pelas publicações do Colóquio, e é parceiro do Observatório de Histórias em Quadrinhos da Universidade de São Paulo e conta com o apoio da Universidade LaSalle.

O Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial é um encontro de uma rede de colaboradores e colaboradoras, pesquisadores e pesquisadoras, docentes, estudantes, artistas do universo da Cultura Pop e da Arte Sequencial e se caracteriza como um braço regional da ASPAS, contando com a participação de diversos associados e associadas.

Colóquio 2018: reserve sua agenda ;-)

O III Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial recém encerrou a programação no último final de semana (13 e 14 de outubro de 2017) e já deixou saudades. Para quem teve a oportunidade de participar do evento, houve uma programação variada com debates, palestras, além do cult break e do perene bolo de cenoura. Muitas produções ainda adquirirão contornos nítidos ao longo deste final de ano, e início do ano que vem, como reverberações do evento (Aguarde novidades!)

Em relação às edições anteriores, o evento foi um sucesso de público e crítica e já atiçou os ânimos para o próximo ano. Num ano marcado pelo Protagonismo feminino na cultura pop, tema do primeiro dia do evento, nada mais acadêmico que referenciar a estreia da Doutora como inspiração para o encontro do ano que vem.

Portanto, reserve desde já sua agenda!

IV Colóquio arte Facebook

Reverberações… confira aí o que rolou no III Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial

Aconteceu no último final de semana (13 e 14 de outubro de 2017), na Faculdades EST, o III Colóquio Regional Sul em Arte Sequencial. O evento, que conta com o apoio irrestrito da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial (ASPAS), entidade à qual o colóquio está vinculado, e parceria do Observatório de Histórias em Quadrinhos da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e apoio da Universidade LaSalle, foi marcado por diversas atrações. Confira aí o que rolou!!!

DAY 0: A preparação

Fotos de Iuri Reblin e Carol Costa

Os preparativos para o evento foram mais intensos que na edição anterior, com a produção de material exclusivo do Cult de Cultura, o grupo de pesquisa da Faculdades EST responsável por promover o encontro anual, além do apoio do Observatório de Histórias em Quadrinhos, que forneceu as bags remanescentes da primeira Jornadas (2011) e blocos de anotações de outras edições, para as pessoas participantes do evento, numa postura de ação sustentável.

Foto_Daniela_Marino_02

Foto de Daniela Marino

Na abertura, a trupe do Cult de Cultura dando o start ao evento 🙂

DAY 1

Foto_Daniela_Marino_04

Foto de Daniela Marino

O primeiro dia, apesar da chuva, teve a palestra sensacional da Mestra Beatriz Sequeira de Carvalho (ECA-USP) que falou sobre sua pesquisa acerca da O processo de legitimação cultural das Histórias em Quadrinhos. Segundo a pesquisadora, diversos fatores promoveram essa legitimação das histórias em quadrinhos: o prêmio Pulitzer de Art Spiegelmann por Maus, a chegada das graphic novels ao mercado, particularmente, por meio da publicação de Cavaleiro das Trevas e Watchmen, a ascensão dos Estudos Culturais, entre outros.

Fotos de Carol Costa

Em seguida, houve um momento emocionante de integração entre as pessoas participantes, que culminou com a performance da Angel, cosplayer da Mulher-Maravilha. Angel compartilhou um pouco sua história e falou dos desafios de personificar uma figura icônica como a Diana de Themyscira.

Foto_Daniela_Marino_01

Foto de Beatriz Sequeira de Carvalho

Logo após foi a vez do cine-debate sobre Protagonismo Feminino na Cultura Pop, que contou com a apresentação e a moderação da Mestranda Daniela Marino (colaboradora do Iluminerds e do MinasNerds) e a participação da Profa. Dra. Kathlen Luana de Oliveira, do campus de Osório do IFRS. O debate problematizou o tema da questão de gênero, apontando elementos do filme da Mulher-Maravilha a favor e contrários à promoção da discussão de gênero. Ao final, houve o sorteio de um Kit da Mulher-Maravilha.

DAY 2

O seguindo dia do Colóquio foi caracterizado pela tradicional socialização das pesquisas das pessoas participantes, além do inédito “Cult Break”, uma pausa para confraternização do grupo em torno de uma mesa. Houve pratos (veganos e carnívoros) deliciosos capazes de contemplar os gostos mais exigentes. O importante de toda essa dinâmica do Colóquio é a promoção da integração de pessoas que estudam, pensam, praticam, produzem, consomem cultura pop e arte sequencial, no sentido de estabelecer laços, desenvolver relações com o movimento de fortalecer um tema de estudo e uma área interdisciplinar do saber.

Ao final, a tradicional foto oficial do evento!

Foto_Ellen_Jachs_01

Foto de Éllen Jachs

Que venha o próximo!

Vida longa e próspera!